Terça, 05 de julho de 2022
91992772955
Política

22/06/2022 às 08h32 - atualizada em 22/06/2022 às 10h51

111

Da Redação

Belém / PA

Ex-ministro e pastores ligados a Bolsonaro são alvos de operação da PF
Os líderes religiosos são suspeitos de operar um balcão de negócios no MEC. Eles teriam negociado com prefeitos a liberação de recursos
Ex-ministro e pastores ligados a Bolsonaro são alvos de operação da PF
.

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (22/6), uma operação contra o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e pastores suspeitos de operar uma balcão de negócios no Ministério da Educação (MEC).


A corporação cumpre mandados de busca e apreensão em endereços de Ribeiro e dos pastores Arilton Moura e Gilmar Santos. Os dois últimos são ligados ao presidente Jair Bolsonaro (PL) e apontados como lobistas que atuavam na pasta, à época comandada por Ribeiro.


A Polícia Federal determinou a prisão de Milton Ribeiro.


De acordo com denúncias, reveladas por diversos veículos, os pastores negociavam com prefeitos a liberação de recursos federais – mesmo sem ter cargo no governo.


Os recursos são do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão ligado ao MEC. O fundo concentra os recursos federais destinados a transferências para municípios.


Em áudio revelado pelo jornal Folha de S. Paulo, o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro disse que priorizava pedidos dos amigos de um dos pastores a mando de Bolsonaro.


Na gravação, o ministro menciona que os pedidos de apoio que seriam supostamente direcionados para construção de igrejas. A atuação dos pastores junto ao MEC foi revelada anteriormente pelo jornal O Estado de S. Paulo.


Ribeiro deixou o cargo no fim de março, uma semana após a revelação do caso. ​


Os líderes religiosos tinham trânsito livre no governo, organizavam viagens do ministro com lideranças do FNDE e intermediavam encontros de prefeitos na própria residência de Ribeiro.


 


 


 

FONTE: Metrópoles

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Bragançahojeonline 2022 Desenvolvido por:
Jayro Anderson