Terça, 16 de agosto de 2022
91992772955
Esportes

06/07/2022 às 14h26

155

Da Redação

BRAGANCA / PA

Aluna ganha na Justiça direito de disputar competição de futebol com meninos em colégio de BH
Emanuelle, de 10 anos, não tinha sido autorizada pela escola a jogar o torneio. A direção disse para mãe que não seria possível formar uma equipe feminina.
Aluna ganha na Justiça direito de disputar competição de futebol com meninos em colégio de BH

A Emanuelle tem 10 anos. Desde os cinco treina em escolinhas de futebol em Belo Horizonte. A menina ficou conhecida depois que a mãe dela exibiu cartazes na festa junina da escola, um deles estava nas mãos da própria Emanuelle e dizia: "Eu só quero jogar futebol com meus amigos."


Outros colegas e pais também participaram do ato: "Mulher gosta de futebol sim e joga muito bem, obrigada.”

O motivo da manifestação: Emanuelle não foi autorizada a jogar o torneio de futebol da escola. A direção disse para mãe que não seria possível formar uma equipe feminina, porque não havia meninas suficientes para um time e que seria preciso até perguntar se um dos meninos do time concordaria dar lugar no time para uma menina jogar.


A família então decidiu entrar na Justiça para que a escola permita que a filha jogue o campeonato. A decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais foi favorável à aluna.


“Nós não estamos falando de um campeonato, sabe, profissional e tudo. Nós estamos falando de criança, e onde os meninos com quem ela tem amizade na escola eles querem, eles falam: 'Manu, vamos jogar. Se você jogar nós vamos ter mais chances de ganhar'. Os meninos abraçam a causa, e surgir da direção essa ideia de que não pode é inacreditável”, afirma Daniele Alves de Oliveira Martins, mãe de Emanuelle.


Na decisão, a Justiça diz que não é razoável não autorizar a participação de Emanuelle no torneio apenas pela ausência de equipes femininas na disputa. E determinou que a escola aceite a inscrição no torneio de futebol, sob pena de multa de R$ 20 mil em caso de descumprimento da decisão.


Em nota, o colégio Santa Rita informou que não tem ciência de qualquer determinação judicial sobre o assunto.


Além de treinar na escolinha de futebol desde pequenininha com os meninos, Emanuelle também participa do time masculino nas aulas de educação física na própria escola. E ela já tinha pedido outras vezes para participar dos torneios.

Agora, ela pediu para mãe falar com a direção, e aí saiu a decisão da Justiça. Ela está muito feliz, recebeu os parabéns de muitas colegas, porque o torneio já está marcado para esse fim de semana.


“Eu fico muito feliz, porque eu vou poder jogar com os meus amigos e eu vou me divertir muito. É a gente conseguir o que a gente quer, conseguir os nossos direitos. Eu estou me sentindo muito feliz, e muito orgulhosa de mim mesmo e da minha mãe”, diz Emanuelle.


Emanuelle não sabia que a história dela se tornaria um exemplo de empoderamento feminino e ficou emocionada ao receber as mensagens de tantas mulheres que venceram barreiras no Brasil fazendo gols e comemorando com todas nós.


“Quero falar para você nunca, nunca, nunca desistir dos seus sonhos. Copntinue sendo essa menina aguerrida, batalhadora, que eu tenho certeza que vai chegar aonde você sempre sonhou”, diz a jogadora Debinha, atacante da seleção.
“Fica firme, estamos juntos, e não mude o seu sonho, mude o mundo”, afirma a jogadora Andressa Alves, atacante do Roma.


 

FONTE: G1

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Bragançahojeonline 2022 Desenvolvido por:
Jayro Anderson